Vale a Pena Fazer um Plano de Saúde?

Vale a Pena Fazer um Plano de Saúde?

Certamente você já se questionou se vale a pena fazer um plano de saúde. Será que vale a pena pagar uma mensalidade por um serviço que você só utiliza 3 ou 4 vezes no ano?

Será que meu dinheiro não seria melhor aproveitado se fosse investido e eu pagasse essas 3 ou 4 consultas que faço por fora?

Com certeza, essas perguntas são normais para quem estar querendo juntar dinheiro. Porém, o plano de saúde traz seus benefícios e seguranças. Por isso, vamos analisar se vale a pena ou não ter um plano de saúde.

Vale a pena fazer um plano de saúde?

Em primeiro lugar, é importante ter em mente de que o plano de saúde é algo que você paga na intenção de não precisar utilizar. Por isso, considere que esse valor é uma segurança para você.

Se você só utiliza o plano de saúde para consultas de rotina, 2 ou 3 vezes no ano, tudo bem. Mesmo assim, você não sabe o que pode acontecer e ter ou não um plano de saúde pode fazer toda a diferença em caso de algo mais sério.

Em caso de acidente ou alguma doença mais grave, os procedimentos médicos podem ser muito caros. Somente uma noite internado em algum hospital pode fazer você gastar mais do que um ano de pagamento do plano de saúde.

Vale a Pena Fazer um Plano de Saúde?Em seguida, é importante lembrar que a saúde pública não estar em suas melhores condições. É possível que você precise esperar meses para ter uma simples consulta ou não encontrar os equipamentos, nem profissionais necessários para te atender.

Logo, em caso de emergência, sem um plano de saúde, você precisará esperar na fila ou pagar por um atendimento particular. Por isso, muitas pessoas só valorizam o plano quando precisam utiliza-lo.

Como não é possível prever o que vai acontecer, é recomendado sim que você tenha um plano de saúde. Por se tratar da sua saúde, vale a pena investir.

Qual tipo de plano escolher?

Entretanto, é possível escolher o plano que melhor atende suas necessidades e, dessa forma, tentar diminuir os gastos com o serviço.

Esses são os tipos mais comuns de planos de saúdes que estão disponíveis no mercado. Veja qual melhor se adequa ao que você precisa.

Ambulatorial:

Cobre exames, consultas e até terapia. Porém, é o plano mais básico. A internação só é incluída em caso de emergência e por, no máximo, 12h.

Hospitalar: 

Cobra a internação em hospitais parceiros por quantos dias você precisar. Porém, só garante as consultas e exames que estejam ligados a internação.

Ambulatorial e hospitalar:

São os dois tipos acima juntos. Ou seja, cobre internação, consultas e exames, ligados a internação ou não.

Referência:

É o plano mais completo e também o mais caro. Cobre exames, consultas, tratamentos, internações e cirurgias.

Outro ponto a escolher quando vai contratar um plano de saúde é se ele será individual, familiar, coletivo ou empresarial.

Individual ou familiar:

Você contrata essa modalidade como pessoa física. Porém, é um tipo de plano menos encontrado no mercado.

Coletivo:

esse plano de saúde é contratado por associações e entidades de classes. Ou seja, o cliente tem que pertencer à algum grupo, como estudante, alguma classe profissional.

Esse plano é o mais comercializado no mercado e mais barato do que o individual.

Plano de Saúde Empresarial:

Essa modalidade de plano de saúde(empresarial) pode ser a mais barata de todas. E com somente duas pessoas na empresa, você já consegue contrata-lo.

O que procurar no plano de saúde?

gora que você já conhece todas as modalidades, pode escolher a que mais se encaixa nas suas necessidades. Se você não faz nenhum tratamento rotineiro ou precisa de alguns exames específicos, pode contratar a opção mais básica.

Dessa forma, você vai pagar menos e ainda estará mais seguro caso precise em uma situação emergencial.

Contudo, existem alguns fatores que devem ser olhados antes da contratação do plano.

Em primeiro lugar, veja os períodos de carência para cada serviço, e principalmente, aqueles que você mais utilizar. É importante que esse período esteja dentro das suas necessidades.

Ou seja, se você precisa fazer um exame mensalmente e o período de carência do plano é trimestral, pode ser que você tenha mais gastos.

Outro ponto importante, é ter em mente que todos os planos de saúde apresentam reajustes de valor. Por isso, pergunte sobre as datas e condições desses reajustes antes de contratar.

Além disso, veja também a abrangência do plano e quais coberturas são feitas. É importante ver se suas necessidades serão atendidas e em quais casos você terá que pagar por fora.

Por isso, analise se as cirurgias estão incluídas, quais são as condições, se tem reembolso de consultas e até se tem parceria com farmácias, o que pode te dar desconto em remédios.

 

Conclusão: Realmente vale a pena fazer um plano de saúde?

 

Em suma, agora você já sabe quais as modalidades de plano de saúde e os tipos, como contrata-los e pode decidir qual a melhor opção para você.

Além disso, se você ainda tem dúvidas de que vale a pena contratar um plano de saúde, coloque no papel suas possíveis despesas com médicos e tratamentos em caso de emergência.

Mais do que as despesas, um ponto que pesa muito e faz valer a pena é a qualidade e a rapidez do serviço. É possível que você não tenha tempo para esperar ser atendido ou entrar em cirurgia.

Por isso, com um plano de saúde você vai estar mais garantido e com maior tranquilidade.

Esse artigo foi útil para você? Continue acompanhando a gente para saber mais.